segunda-feira, 9 de agosto de 2010

... depois da margem


Dizem que depois da margem oposta tem mais.
Curioso. Curioso fico. Curioso volto.
Penso em castelos e princesas.
Penso em cobras e lagartos.
Penso na falta do pecado original.
Penso em sexo e prostitutas.
Penso no politicamente incorreto.
Penso na correção das faltas.
Penso na ausência do amor.
Penso no amor pela ausência.
E tudo deve ter lá, depois da margem oposta.
Me disseram que tem mais.
E, na verdade, eu sei que tem.
Penso em tudo o que posso ter.
Penso em tudo o que podem me dar.
Penso em dinheiro e posses.
Penso nas riquezas além de elevações.
Penso no espírito descarnado.
Penso no campo de álamos.
Penso em filas de vergamoteiras.
Penso em gomos ao sol.
Tudo isso deve ter do outro lado.
Me disseram que tem mais depois da margem.
A margem oposta.
Penso nas coisas que não faço.
Penso no que lá posso fazer.
Penso em tudo o que ocorre.
Penso no vinho, penso no cânhamo.
Penso na carne, penso no homem.
Penso que lá não é homem.
Penso que lá é fluido.
Penso que o fluido é mais corrente.
Penso que a corrente segue para o outro lado.
Penso em outra margem.
E sei que, depois dessa outra margem, tem mais.
Penso. Penso. Penso.

4 comentários:

Bárbara disse...

Oba, nova postagem!
Adorei!
Bah...
eu também penso muito nas coisas que eu posso descobrir na margem oposta, e penso na margem oposta.
Por isso, estou pegando o barquinho e remando até lá.
Beijocas!

Sarah Souza disse...

Depois da margem oposta tem muito, inclusive a saudade. Beijo.

Greiciane disse...

Penso na carne, penso no homem.
Penso que lá não é homem.
Penso que lá é fluido.

Achado!
Curiosa.
Saudosa!

Mateus Ferraz disse...

saudosa?